Comprar uma casa pronta ou construir uma casa do zero ?

Na hora de adquirir um imóvel, se a opção for comprar uma casa, uma dúvida que pode surgir é se vale mais a pena comprar uma casa pronta ou construir uma casa do zero.

casal-conquistando-a-casa-propria

Nos dois casos, existem vantagens e desvantagens e é preciso avaliar todas as possibilidades. Porém, a escolha, com certeza, deve levar em consideração o valor disponível para investir, o tempo e a paciência do proprietário.

Algumas das vantagens de começar a construir uma casa do zero é que o imóvel será projetado de acordo com as necessidades da família, não serão necessárias reformas e os acabamentos são do gosto do proprietário. Além disso, com planejamento bem feito, os custos podem sair menores. Porém, em contrapartida, pela falta de experiência, a obra, no final, pode acabar extrapolando o tempo e orçamento inicialmente pensados.

Já a casa pronta pode precisar de algumas pequenas reformas para se adequar às necessidades da família. Mesmo assim, o tempo que irá levar, em caso de necessidade de alguma intervenção, será bem mais curto que construir uma casa do zero. Ou seja, a casa pronta estará disponível logo após a aquisição. Além disso, ela já tem seu valor de mercado adequado.

 Caso você  tiver facilidade em contratar a mão de obra para a construção, com certeza vai ficar mais barato construir. Até porque a casa terá o projeto ao seu gosto, você vai poder escolher o melhor material e a casa poderá gerar mais prazer. Mas se você não sabe contratar de forma eficiente, é melhor não optar pela construção. Até porque existe uma série de responsabilidades que podem resultar em mais tempo e dinheiro gastos.

A questão do tempo disponível é importante neste processo. Quando a casa já está pronta, existe a vantagem de poder se mudar para o imóvel logo após a aquisição. Se a escolha é construir do zero, é preciso seguir uma sequência de etapas até, enfim, poder morar no imóvel.

O mais comum é fazer financiamento para comprar uma casa já pronta e é ao que os bancos estão mais habituados a fazer, onde há várias modalidades de financiamento. Vários bancos fazem esse tipo de negócio e é importante pesquisar as taxas de juros de cada um porque há uma disputa acirrada entre essas instituições. Portanto, vale a pena fazer várias simulações e saber qual é melhor opção para você.

Anúncios

Tendências para 2015 – Mercado Imobiliário-

Desde 2008, o preço dos imóveis viveram numa crescente valorização. Porém, no ano que passou, o mercado deu uma “freada” e a queda nas vendas foi sentida pelas empreendedoras do mercado imobiliário pelo fato de 2014 ter sido um ano atípico por causas dos eventos esportivos e eleições presidenciais.

Ted Muito se fala, mas não há consenso entre os especialistas e próprio mercado imobiliário sobre o preço dos imóveis.

Há aqueles que acreditam na valorização dos imóveis, outros que acreditam na estabilização dos preços por conta da grande oferta de produtos e ainda há aqueles pensam na possibilidade do preços caírem.

Vale ressaltar que, com muitos imóveis novos “em oferta” os valores começaram a desacelerar. As construtoras de todo o país estão literalmente liquidando o seus estoques. Está é uma estratégia para tentar alavancar as vendas no último trimestre de 2014.

Para o cliente que quer comprar um imóvel este é o momento de pesquisar e pechinchar, principalmente se tiver em mãos valor em torno de 40% da casa ou apartamento para dar de entrada porque sua margem de negociação acaba por ser bem maior. Entretanto, esta desaceleração não quer dizer “desvalorização” dos imóveis, a tendência de agora em diante, tanto para imóveis novos como para imóveis usados,  é a valorização acontecer de uma maneira mais real e lenta.

Portanto, para você  saber se com o aumento da oferta no mercado imobiliário os preços dos imóveis vão cair em 2015;  a resposta para essa pergunta  recorrente hoje no ramo imobiliário  é que não haverá uma queda vertiginosa de preço dos imóveis, é o que  afirma a maioria do especialistas. Acredita-se na recuperação do mercado com um crescimento menor do que aconteceu na última década e que os imóveis continuarão se valorizando de acordo com a real demanda do mercado, principalmente nas regiões que apresentam boa infraestrutura. Este é o melhor momento para quem quer comprar!

Fonte: Segredos Imobiliários.

 

Imóveis novos priorizam espaços sociais amplos e integrados

Com mais espaço fora dos dormitórios, convivência ganha relevância nos novos apartamentos paulistanos

Gerente de marketing e vendas da Marques Construtora, Vitor Marques afirma que existe uma grande, e crescente, aceitação do público para imóveis que valorizem a integração de espaços. “Eu acredito que plantas com essa composição sejam uma evolução para as necessidades do mercado”, diz. Não é à toa que incorporadoras e construtoras ofereçam opções de plantas que promovem a conjugação de ambientes em apartamentos com metragem que vão de menos de 40 metros quadrados a até mais de 500 m².

Para Marques, a cozinha americana já foi adotada no Brasil com a idéia de criar espaços mais abertos e dar a sensação de amplitude. Uma outra possibilidade oferecida pela construtora, de acordo com o gerente, é a integração entre cozinha e varanda com churrasqueira.

“O benefício é o uso da churrasqueira com acesso direto à cozinha, sem necessidade de pessoas e utensílios passarem pela sala de estar. ” Para o gerente, é cada vez mais necessária a otimização dos espaços, agregar áreas de interesse dentro do imóvel. Para ele, um modelo conjugado facilita o dia a dia e melhora a convivência.

A gerente de personalização  Tarjab Construtora, Liliane Ross, concorda e afirma que os conjugados estão cada vez mais presentes nas plantas da construtoras. Para ela, é um modelo que veio para ficar, pois pode contribuir para aumentar o tempo de convívio e integrar os moradores. “Com a correria diária, usa-se cada vez menos a cozinha para as refeições, quando ela está integrada à sala de jantar ou de estar, pode unir ainda mais família, amigos e visitas.”

Liliane destaca o terraço como um dos pontos principais para unir as áreas. Segundo ela, antes, a varanda era mais afastada e hoje pode ser usada como living, varanda gourmet, sala de jantar ou simplesmente como um espaço aberto, ao ar livre, para ficar e receber.

Abrangência. Assim como a Marques Construtora, a Tarjab também investe em varandas nos empreendimentos com metragem menor, de 40 metros quadrados. “O terraço é item de grande aceitação do público, não pode faltar. São inúmeras as possibilidades de compor com a varanda, seja o uso comum para a churrasqueira, ou como living, sala – de jantar, de estar –, de acordo com a necessidade do cliente”, diz.

Na Porte Construtora, é possível escolher entre cinco opções de planta, todas elas buscando a integração de espaços, segundo a gerente de projetos, Maura Groke.

“O modelo mais adotado é a varanda aberta, possibilitando a integração com a sala.” Nos apartamentos duplex, há integração do living com a piscina, usada pela maioria dos proprietários. “A flexibilidade de abrir os espaços agrada aos clientes”, acrescenta.

“Integração é para sociabilizar”, reforça a arquiteta Eliana de Souza. “As pessoas querem fazer churrasco, por exemplo, conversando com os amigos sentados no living, na piscina ou na sala de estar. Por isso, é importante pensar no estar junto.” Para ela, não há muitos impedimentos na hora de integrar as áreas sociais. “Tenho uma linguagem de convivência. Eu vendo os benefícios de um imóvel com poucas paredes.”

Para ela, quanto menor o imóvel, mais ele deve ser aberto. “Pode colocar porta articulada, sanfonada para fechar quando achar conveniente, mas é sempre possível, em qualquer tamanho, haver funcionalidade.”

Apartamento moderna pronto

Funcional. A arquiteta Ana Yoshida ressalta que, atualmente, as pessoas querem, ou pelo menos estudam, uma possibilidade de integração. “Se não há nada estrutural que impossibilite a quebra, sugerimos a conjugação de cômodos, que proporcionam mais leveza e circulação para os ambientes e maior aproveitamento dos espaços.”

Ana diz que, ao avaliar as plantas, ela já constata o que é possível ou não fazer. E, concorda que cozinha e sala, com ilha gourmet, e varanda com sala, são os projetos mais buscados. “As pessoas estão cada vez mais recebendo em casa e querem estar mais próximas das visitas, cozinhando e conversando. É mais uma questão social.”

Ela orienta a observar alguns detalhes na hora de conjugar. “Às vezes, a configuração da cozinha não proporciona a integração.” No caso da varanda compondo com a sala, ela aconselha a nivelar o piso, reforçando a uniformização do espaço.

“Essa tendência é consequência da evolução social. A gastronomia está em alta e receber em casa virou uma atividade quase rotineira. Por isso, deixar a cozinha mais próxima da sala é valorizar a convivência.”

Fonte: Estadão, Blog Radar Imobiliário (16/08/2014).