Confira 10 dicas na hora de escolher o terreno ideal !!!

Alterado
No mercado imobiliário é muito comum em nossa região percebermos que, em paralelo ao sonho da casa própria, a compra de um lote se torna uma meta para qualquer pessoa que almeja ter um lugar só seu ou que pretende comprar como investimento.

Para que esse objetivo seja iniciado corretamente, o primeiro passo que deve ser dado é saber exatamente como escolher um bom terreno e para qual finalidade ele será direcionado, para assim poder desenvolver seu projeto. Mas a escolha do terreno ideal exige mais que um ótimo preço ou uma ótima localização.

Com o intuito de poder ajudar nessa escolha, confira  algumas dicas para que sua aquisição do tão sonhado terreno seja um sucesso!!!

1 – Conte com a de um ajuda de um corretor de imóveis ou uma imobiliária, que irá apresentar as opções de acordo com o seus recursos financeiros e irá fazer você economizar o seu tempo.

2 – Antes de procurar o terreno, planeje o que você pretende construir e defina qual o padrão construtivo e as necessidades do espaço. Análise a localização, tranquilidade, área verde, acessos, mobilidade e outros fatores que podem ser decisivos para uma ótima escolha.

3 – Diante disto, conhecer o terreno pessoalmente é muito importante, para assim poder sentir e tirar suas primeiras impressões do local, moldando o que você pretende construir. Encontrando alguma dificuldade em relacionar o espaço com o que será construído, o ideal é contratar um profissional habilitado (arquiteto ou engenheiro), para fazer uma visita técnica ao terreno.

4 – Alguns itens relevantes com relação ao terreno que devem ser observados são o norte do terreno, para que se possa ter idéia da posição do sol em relação à futura construção; a topografia, que dependendo das características podem aumentar os custos com relação ao aterro; verificar se o terreno encontra-se em área de risco, analisar a composição do solo, verificar sua consistência para que o mesmo não seja um lote aterrado em cima de um antigo deposito de lixo. A verificação das medidas exatas do terreno é muito importante para uma correta delimitação do lote, evitando assim futuras ações judiciais.

5 – O zoneamento urbano é importante para a escolha do terreno, pois ele estabelece diretrizes sobre o planejamento da cidade, definindo os espaços residenciais, comerciais, industriais e mistos, além de prever as taxas de ocupação com a porcentagem máxima das construções. Essas diretrizes variam conforme o bairro, região e cidade, mas indicam o que pode e o que não pode ser construído em determinada área. Para se ter mais informações sobre zoneamento da área que irá comprara o lote, basta ir a prefeitura municipal e protocolar um pedido de CONSULTA PRÉVIA de construção do referido lote.

6 – Caso o almejado terreno a ser adquirido seja em um condomínio, verifique as normas e as restrições de construção no regimento interno do condomínio, para que no futuro não se depare com algum problema.

7 – Após verificar e analisar todos os fatores acima confira no Cartório de Registro de Imóveis se o terreno está registrado e peça uma certidão de propriedade, com negativa de ônus e alienações, para que se possa ter a certeza que o lote está desmembrado e corretamente especificado. Certidão negativa de débito (CND) com relação à prefeitura também é importante, neste caso o IPTU.

8 – Comprando o imóvel a vista é hora de fazer a transferência e registrar o mesmo no cartório de registro, ou fazer uma proposta de compra e venda. A proposta é um documento que firma a intenção de compra e nele estará descrito o objeto da compra e suas características, como também todo o acordo firmado entre as partes.

9 – Depois de feito pagamento da compra do lote deve-se levar todos os documentos pessoais, o contrato e os recibos no Cartório de Registros, que lavrará a escritura. Por último peça a prefeitura a alteração de nome no IPTU.

10 – Fique atento e tenha cuidado com a compra de terrenos irregulares, eles podem trazer muita dor de cabeça. Sabia que a irregularidade não te dá o direito de posse, DONO É AQUELE QUE REGISTRA!

            Marca d' agua Fonte: Caio Vital

Anúncios

Dicas na hora de comprar o terreno ideal para sua sonhada casa

O primeiro passo para construção de uma casa é saber como escolher o terreno ideal .

Post terreno ideal

Veja aqui algumas dicas que irão ajudar você acertar nessa hora!

1- Localização

Em primeiro lugar , definir o local onde você quer construir,  ou seja , entre um lote urbano localizado em um dos bairros da cidade ou num condomínio fechado.  Nos casos de lotes urbanos, o correto é fazer uma análise de valorização comercial, índice de criminalidade e avaliação do entorno em relação infra-estrutura, como por exemplo escolas e centro comerciais, trânsito e transporte.

 2- Topografia 

O ideal e mais econômico é que o terreno seja plano porque isso evita gastos adicionais de estrutura e movimentação de terra. Já nos terrenos com a aclive e declive devem ser tomados alguns cuidados para evitar alguns problemas, embora o engenheiro e o arquiteto saberão como fazer isso.

3-  Terreno x posicionamento da casa

É importante que os  quartos sejam voltados para o sol da manhã.. Isso requer um estudo especifico que pode variar de um caso para outro. No caso de varandas e área gourmet, tão em alta nos projetos atuais, é aconselhável que estejam sombreadas na maior parte do dia  e por isso, como estratégia, deve-se  evitar que o sol da tarde incida de forma direta nesse ambiente.

4-  Documentação

Antes de você fechar qualquer negócio é preciso atenção redobrada na avaliação dos documentos. No caso de lotes urbanos você deve  checar se eles possuem registro em cartório. O mesmo vale para lotes em condomínios ou loteamentos fechados. Neste segundo caso, além do registro do terreno é necessário verificar se a incorporação está também registrada.

5- Contrate um corretor

Como são vários itens que devem ser levados em consideração e por se tratar da concretização do sonho da casa ideal para você e sua família, compensa contar com a ajuda de um corretor de imóveis, pois ele é o profissional indicado para isso, e com certeza, você irá fazer a melhor escolha e o melhor negócio!

                                   CAIO VITAL –  Corretor de imóveis /CRECI 97967

Fale conosco:

 E-mail: imoveis.caiovital@gmail.com  

  Whatsapp: 16 98115 2550. 

Construção: Como construir

Ao contrário de muitos países, no Brasil há um desejo, de grande parte da população, de realizar o “sonho da casa própria” e, para isso, há duas maneiras: comprar uma casa pronta, ou construí-la, do zero.

maos-construindo-materia

Responder a questão sobre o que vale mais a pena, comprar ou construir, não é tão simples. Além do fator financeiro, vários critérios sentimentais também são envolvidos no processo. Ao contrário de um investidor que compra um imóvel para renda e visa principalmente o retorno financeiro, o indivíduo que está adquirindo ou construindo uma casa para morar, deseja lapidar um sonho. A rotina e os hábitos da família também pesam na hora de tomar essa decisão.

Se a família não possui tempo para esperar todo o processo de projeto e construção, ou tem preferência por viver em apartamento, por exemplo, não há muito no que se pensar, o indicado é um imóvel pronto. Porém, se houver tempo para que o processo transcorra normalmente entre projeto, procedimentos legais e construção, e a opção for por imóveis independentes, construir a própria casa pode ser uma excelente saída.

O que é preciso saber sobre o processo de planejamento da obra

A primeira coisa é possuir um terreno. Caso ainda não tenha comprado o terreno, preste atenção em alguns pontos importantes: o valor do terreno, preferencialmente, não deve ultrapassar 30% do montante que se planeja gastar no total da operação. Também é importante olhar o zoneamento do terreno para conhecer o tipo de uso do solo permitido e a taxa de ocupação, conferir a documentação e verificar se possui alguma árvore nativa, cuja remoção seja proibida. As regras para o uso do solo variam de cidade em cidade e até dentro de uma mesma localidade, cada bairro pode ter permissões diferenciadas de áreas vizinhas.

O próximo passo é elaborar o projeto. É importante não ter pressa nesse momento, e contratar profissionais (arquiteto, engenheiro, técnico em edificações) – e ter certeza de que todos os detalhes foram incluídos no planejamento. Não se pode deixar de elaborar, em conjunto, os projetos elétrico e hidráulico para que não seja necessário fazer reformas para adaptações no futuro, gerando mais despesas.

construcao_003

É importante também montar um cronograma de custos e prazos. Se essa planilha for seguida à risca, evitará gastos e atrasos desnecessários. Também é preciso conseguir um alvará na prefeitura para a execução da obra, e contratar a mão de obra. Uma dica é visitar uma obra em andamento dos profissionais contratados para a mão de obra (pedreiro, empreiteiro), para conhecer o seu trabalho.

Quais são os cuidados necessários durante a obra

Ao optar por contratar um empreiteiro ou engenheiro que gerencie a obra, você terá alguém que cuide de todo o processo em seu lugar. É importante apenas ficar atento aos prazos e visitar a obra periodicamente para verificar se tudo está de acordo com o que foi combinado.

Se, em vez de contratar um empreiteiro você optar por contratar os pedreiros diretamente, lembre-se de recolher o INSS dos profissionais. Caso isso não aconteça, você será obrigado a pagar tudo de uma só vez, na prefeitura, ao solicitar o Habite-se.

A presença de um engenheiro ou um técnico em edificações, apesar de ser mais dispendiosa, pode evitar problemas futuros como rachaduras ou afundamentos, além de utilizar a quantidade certa de material em cada parte da casa.

construcao_004

Dicas para economizar

Já que as linhas de crédito e financiamentos para a construção não são tão atraentes quanto os financiamentos para imóveis prontos ou na planta, ter a quantia toda em mãos é essencial para evitar o pagamento de juros e prazos que não são interessantes, além de ganhar poder de barganha na compra dos materiais e na contratação de mão de obra.

Após comprar o terreno, a construção pode ser programada para que seja faseada, ocorrendo na medida em que se consegue ir despendendo o dinheiro necessário em cada etapa, ou seja, a edificação pode ser planejada em módulos. Atenção: ao expandir em mais de 50% a área construída, algumas prefeituras consideram a ampliação como um imóvel novo, passível de todos os processos descritos anteriormente.

Arquitetos e empreiteiros costumam conseguir descontos ou ter participação nas vendas em casas de materiais de construção, converse com o seu e veja como aproveitar essas possibilidades.

Caso vá construir mais de um banheiro, tente fazê-los próximos um do outro, para que economize na quantidade de tubulação; dessa forma também é possível compartilhar uma só “parede hidráulica”.  Outra dica para economizar é substituir os azulejos por tinta epóxi ou borracha clorada.

Construir uma casa é uma missão que pode levar um bom tempo e ser bem trabalhosa, mas ao final de todo processo, a sensação de conquista superará todas as dificuldades; além de ter um espaço com a sua cara, pensado especialmente pra suas necessidades.

Originalmente postado por Carlos Gluck em Loucos por imóveis.

Casa própria é o sonho de consumo para 30% dos brasileiros

Happy family near new house.

Três em cada dez brasileiros (30%) têm como principal sonho de consumo comprar uma casa ou mobiliar e reformar o imóvel próprio, de acordo com pesquisa divulgada recentemente pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) para traçar o perfil comportamental e hábitos do consumidor.

Mas, além da questão patrimonial, a pesquisa constata que muitos consumidores são movidos por impulsos, e não têm maiores cuidados em relação a só gastar dentro dos limites do próprio orçamento. Caso, por exemplo, dos 47% de entrevistados que admitiram ter comprado, por impulso, algum produto que nem sequer chegaram a usar.

A questão orçamentária não inibe também os 62% que, antes mesmo de receber o salário, já pensam nas compras supérfluas que farão no mês seguinte, nem os 59% que se presenteiam apenas porque “eu mereço”. O mesmo percentual dos que admitem ter ficado “no vermelho” porque compraram algum bem sem necessidade imediata.

mina comprabdo via internet

Tem, ainda, os que são movidos pela aparência. Caso dos 33% que confessaram ter dado presentes acima de suas posses para impressionar; dos 43% que quando compram um produto recém-lançado, fazem questão de exibir a novidade; ou dos 21% que em companhia de amigos ou parentes em compras, extrapolam o próprio orçamento apenas para “não fazer feio”.

Também segundo a pesquisa, realizada com 610 entrevistados em 27 capitais brasileiras, o percentual dos brasileiros que planeja o investimento para moradia sobe para 32%, entre os  entrevistados das classes C,D e E.

Já os de maior renda, realizar uma viagem desponta como o principal sonho de consumo, por 18% dessas pessoas porque a viagem é vista de vivenciar novas experiências, enquanto os de menor renda a casa própria representa segurança e independência.

Na avaliação do gerente financeiro do SPC Brasil, Flávio Borges, a tendência ao consumo imediatista e impulsivo por uma parcela expressiva da população é reflexo das recentes alterações na estrutura de renda do brasileiro e no acesso ao crédito.

“Com desemprego em baixa e reajustes salariais acima da inflação, temos assistido a uma crescente inserção do consumidor ao mercado de crédito, o que garante mais poder de compra. O problema é que a melhora da condição financeira da população nem sempre vem acompanhada de uma maior consciência sobre como gastar esse dinheiro“, explica Borges.

De igual maneira, em cada dez entrevistados, pelo menos seis (59%) admitem que já ficaram no vermelho por adquirir algum bem que não precisavam ter comprado. Segundo Borges, esse comportamento contribui para o elevado nível de endividamento (comprometimento do orçamento com dívidas a pagar) da população.

“Várias das conclusões do estudo reforçam a constatação de que o brasileiro tem satisfação em gastar o seu salário logo que recebe. Com uma visão mais imediatista para a realização de seus sonhos e desejos, ele acaba pagando a mais em forma de juros embutidos nos financiamentos. Isso explica o fato de o Brasil ser um dos países que menos poupam no mundo”, diz Borges.

Novos hábitos e sonhos de consumo

Entre os principais gastos declarados que os entrevistados tiveram ao longo de 2013, a maior parte se refere á itens básicos de primeira necessidade, como alimentação (67%) e moradia (49%).

Os eletrodomésticos da chamada linha branca, como geladeira, fogão, máquina de lavar e micro-ondas, que com as desonerações fiscais nos últimos anos passaram a ser comercializados a preços mais baixos, foram citados pelos entrevistados como os principais itens de consumo que passaram a fazer parte das listas de compras em 2013 (12% dos casos).

Já em relação ao planejamento para compras futuras, três em cada dez brasileiros (30%) tem como seu principal sonho de consumo adquirir a casa própria ou reformar e mobiliar o imóvel que já possuem.